Destinos

Espanhol na Coined de Buenos Aires

Destinos | 08/10/12 | 18 comentários

Acho que não preciso convencer ninguém de que viajar pra estudar uma língua é massa, né? Escutar o idioma todos os dias, ter mil oportunidades pra colocá-lo em prática, conhecer gente do mundo todo, explorar uma nova cidade… Das duas vezes em que viajei com esse objetivo, me diverti e aprendi muito. Mas muita gente deixa de fazê-lo por achar que é caro demais, ou até por ficar em dúvida sobre o destino, a escola, a duração da viagem, etc. 

Pra quem não tem experiências do tipo e tá muito indeciso, as agências de intercâmbio podem ser uma mão na roda. E foi a uma delas (a STB do Recife) que acudi pra resolver os aspectos práticos da minha viagem a Buenos Aires, em janeiro de 2009. Fui muito bem atendida e deu tudo certo :) Só que chegando lá, conheci gente que tinha ido por conta própria e percebi que isso sairia mais em conta. Aí depende das prioridades de cada um, que tem que pesar se dá mais valor à segurança e conforto de ter alguém resolvendo tudo por você, ou se prefere correr atrás das coisas sozinho – o que não é tão difícil, graças à maravilha da internet. 

Mas sempre é bom saber a opinião de quem já foi, pra não entrar numa roubada, né? Resolvi, então, falar um pouco da minha experiência em um curso de quatro semanas na escola Coined, que tem unidades em 13 países da América Latina e aqui na Espanha. Escolhi a Argentina, pelos mesmos motivos que atraem a maioria dos brasileiros pra lá: proximidade, moeda mais fraca, interesse pelo país, etc. Mas a Coined têm sede em seis cidades dos nossos hermanos: Buenos Aires, Mendoza, Ushuaia, Córdoba, Bariloche e Puerto Madryn (Patagônia). Por isso, é possível até fazer uma parte do curso em uma cidade e continuar em outra(s), o que pode ser interessante pra quem quiser explorar mais o país, principalmente se tiver mais tempo pra se acostumar com cada lugar e conhecer as pessoas que vivem nele antes de se mudar.

Uma das minhas turmas – só mulher!

Não conheci nenhuma das outras cidades, mas a capital é realmente muito interessante. Muita coisa pra fazer sempre, boa estrutura, etc. Só vejo um ponto negativo: a quantidade de brasileiros. Não que eu tenha nada contra meus conterrâneos, mas vivendo em um destino tão procurado por nós fica mais difícil evitar falar português, então leve isso em consideração ;)

Quanto à escola em si, sou (quase) só elogios. Fui pra lá por recomendação de uma amiga e a unidade porteña é muito organizada. Tive dois professores, ambos excelentes, e não senti falta de nada além de uma apostila melhor estruturada. Explico: normalmente os alunos usavam livros de idiomas normais, mas pra o meu nível (B2 e C1) a escola fornecia umas apostilas feitas a partir de fotocópias de vários textos e as tais apostilas eram, digamos assim, meio improvisadas demais. Fora isso, tudo foi bem profissional, e existiam várias atividades extras das quais podíamos participar. Cada nível do padrão europeu (A1, A2, B1, B2, C1, C2) era dividido em dois módulos, com duração de uma semana cada.

Pra saber os preços dos cursos e da acomodação, basta ir aqui neste link. Eu fiquei em uma residência estudantil, localizada no centro, a uns 5 minutos a pé da escola. Era um prédio antigo (como a maioria na cidade), mas tranquilo. Eram três andares, se não me engano, com umas 40 pessoas (na época, a maioria eram brasileiros e holandeses, mas tinha também gente de várias outras nacionalidades) divididas em quartos individuais, duplos e triplos. Cada andar tinha dois banheiros, uma cozinha e uma sala com sofá, tv, mesa e cadeiras. Cada quarto tinha no mínimo um guarda-roupa, uma cama e uma mesinha com cadeira. Na minha época, era possível escolher entre hospedagem com ou sem café da manhã e era muito melhor pedir sem, porque o que eles ofereciam era bem mais ou menos e vale muito mais a pena ir no supermercado comprar o que preferir. 

Meu quarto na residência – a sacola do Hiper dá todo um charme à decoração

A residência é ótima pra conhecer muita gente (fiz grandes amigos lá, com os quais mantenho contato até hoje <3), mas outra opção é ficar em casa de família ou, independentemente da escola, procurar outro lugar pra ficar, que pode ser um albergue, um hotel ($$) ou um apartamento alugado. Essa última opção é muito comum por lá e sai bem em conta, principalmente se você estiver viajando com outras pessoas e/ou for passar pelo menos um mês por lá.

Ah, eles têm também programas de estágio e trabalho voluntário, sobre os quais não posso opinar, mas vale a pena pesquisar ;) E, como eu disse, dá pra resolver tudo através do site da escola: a reserva e o pagamento (via PayPal) podem ser feitos online, aqui. Se alguém se interessar e tiver alguma dúvida, é só gritar aí nos comentários! 

Posts Relacionados

18 Comentários

  1. BRENDA ASSIS

    Olá, vou precisar viajar, queria saber como funciona. Conversar com alguém que já foi. Se possível um contato via celular.. e-mail etc

  2. Mariana

    Olá! Estou indo para Buenos Aires com uns amigos e queria saber em que residência você ficou. E se poderia indicar algumas outras, se possível baratas (haha) e perto da UBA de Caballito. Obrigada!

    • Oi, Mariana! Foi uma residência da Coined mesmo, não sei se dá pra ficar lá independentemente. Ela fica na Hipólito Yrigoyen, 964. Fora isso, infelizmente não sei indicar, porque só fiquei nessa mesmo! Boa sorte ;)

  3. Vanessa

    Oi Luisa, com 1 mês de curso consegue aprender bem?

    • Luísa Ferreira

      Oi, Vanessa! :) Isso depende de vários fatores: se você já tem algum conhecimento do idioma ou não, se vai estudar de verdade depois de cada aula, se vai praticar mesmo o idioma todos os dias, se vai sair com estrangeiros e argentinos ou só com brasileiros… Como espanhol é parecido com português, se você se esforçar 100% dá pra aprender muita coisa em um mês sim, mas também não dá pra esperar milaaagres ;)

  4. Maria Martins

    Luísa gostaria de saber se seria possível trabalhar lá, além de estudar, e por quanto mais ou menos ficaria os custos para um período de 4 ou 6 meses?

  5. Júlia Carolina

    Boa Tarde Maria!! Eu não tenho nenhum conhecimento sobre o espanhol, só sei enrolar bem o basico, você acha que é muito arriscado eu ir sem saber nada?

    • Luísa Ferreira

      Oi, Júlia! É interessante se você souber o básico pra poder avançar mais rápido e ter mais segurança pra puxar assunto com as pessoas na rua e tal, mas arriscado não é, até porque tem sempre muitos brasileiros em Buenos Aires e o pessoal sabe desenrolar o portunhol :P

  6. Késia

    Olá ^^ venho procurando informações sobre intercambio e achei interessante essa opção, gostaria de saber uma média de valores gastos lá e com o curso, você sabe?

    • Luísa Ferreira

      Oi, Késia! Como fui em 2009, essa questão dos valores tá muito diferente :/ Infelizmente não sei te informar o quanto você gastaria no dia a dia atualmente, mas sobre os valores do curso, você pode obter mais informações no site da Coined: http://www.intercoined.com/pt-br Um abraço!

  7. Ana Luiza

    Olá, queria saber sobre a escola e o espanhol… estou a procura de um intercâmbio em línguas, se puder entrar em contato para falarmos mais sobre. Obrigada.

    • Oi, Ana Luiza! Quais são suas dúvidas? Pergunta aqui nos comentários, que aí as respostas podem ajudar outras pessoas :) Um abraço!

      • Ana Luiza

        Sim, sem problemas .
        Então… queria saber a respeito da escola em si, como são as aulas, se você aprendeu o espanhol e obteve certificado comprovando. Só pra tirar aquela minha insegurança de contratar o pacote sem ter certeza mesmo se vale a pena.

        • Oi, Ana Luiza :) Sobre a escola comentei aí no post: “Quanto à escola em si, sou (quase) só elogios. Fui pra lá por recomendação de uma amiga e a unidade porteña é muito organizada. Tive dois professores, ambos excelentes, e não senti falta de nada além de uma apostila melhor estruturada. Explico: normalmente os alunos usavam livros de idiomas normais, mas pra o meu nível (B2 e C1) a escola fornecia umas apostilas feitas a partir de fotocópias de vários textos e as tais apostilas eram, digamos assim, meio improvisadas demais. Fora isso, tudo foi bem profissional, e existiam várias atividades extras das quais podíamos participar. Cada nível do padrão europeu (A1, A2, B1, B2, C1, C2) era dividido em dois módulos, com duração de uma semana cada.”
          Sobre as aulas, a metodologia depende de cada professor e cada nível, e como já faz tempo que eu fui (2009) muita coisa pode ter mudado, mas gostei de todos os professores que tive (eles mudavam a cada módulo), e olha que sou exigente com isso :P
          Sobre o espanhol, eu já tinha estudado por uns seis meses num curso e mais seis meses sozinha antes de ir; minha gramática era boa, mas travava um pouco na hora de falar. As aulas ajudaram bastante, mas teria sido mais proveitoso se eu não tivesse andado tanto com brasileiros no meu tempo livre. Buenos Aires é uma cidade cheia de brasileiros e nos lugares mais turísticos o pessoal arranha um portunhol, então numa cidade menor talvez fosse mais “forçada” a praticar o idioma.
          Sobre o certificado, recebi sim um que falava do meu nível e detalhava meu desempenho em cada competência, bem organizadinho.
          Se você for passar pouco tempo como eu fiz talvez esse post aqui te ajude: https://www.janelasabertas.com/2015/02/09/intercambio-um-mes/

          Um abraço!

          • Ana Luiza

            Luíza, muitíssimo obrigada pela paciência e atenção. Tudo que me foi dito é de grande valia. Eu estou pensando em ir pro Chile mas pra fazer o espanhol pela Coined também. Por isso perguntei tanto sobre a escola, porque estava insegura sem saber alguém que já tivesse feito. Mas então que otimo, adorei seu post e estou amando seu blog e Instagram. Obrigada de verdade.
            Um abraço ;))

          • Oi, Ana Luiza! Que é isso, é um prazer ajudar :) Como te falei, faz tempo que estudei na Coined, mas eles eram bem profissionais e imagino que continuem assim. Espero que você goste da experiência! Um abraço

Deixe o seu comentário