Pernambuco

Quanto custa viajar para Fernando de Noronha

Pernambuco | 23/02/17 | 6 comentários

Vou logo dando a real: como você deve imaginar, viajar pra Fernando de Noronha não sai barato. Mas calma: também não precisa ser impossível. Você provavelmente não vai poder evitar alguns gastos essenciais, como as taxas cobradas pra visitar o arquipélago e a hospedagem; além disso, quase tudo que tá disponível pra consumo nesse paraíso é caro (“é porque vem do continente”, explicam os habitantes quando veem sua cara de espanto). Ainda assim, dá pra abrir mão de uns luxos e economizar. Garanto que a experiência nesse destino deslumbrante não vai ser menos incrível. :) Vamos aos números?

Passagens

Duas empresas voam pra Noronha: Gol e Azul, com conexão no Recife ou em Natal. Dependendo de onde você mora, a passagem normal pode ser uma bela de uma facada. Consegui as passagens por milhas, saindo do Recife (onde eu moro), e se você usar algum programa de milhagem não deixe de ficar ligado nas promoções pra resgate. Em baixa temporada podem rolar promoções de passagem, mas a má notícia é que isso não é tão comum.

Saindo de São Paulo, as passagens mais baratas que achei até junho tão por R$ 1.400, e saindo do Recife (dá uma paradinha aqui pra conhecer minha cidade, vai!) o preço mais baixo que encontrei foi R$ 670 (ida e volta, com taxas). Se você pretende ir pra lá, vale a pena ficar dando uma olhada nos preços com antecedência e colocar um alerta em sites como o Google Flights pra ser avisado se aumentarem ou diminuírem. E como sempre, se achar um preço legal com antecedência ainda tem a vantagem de “esquecer” que pagou a passagem quando chegar a hora de gastar (um bocado) por lá :P

Taxas

São cobradas duas taxas pra visitar Noronha. A primeira, a Taxa de Preservação Ambiental, é obrigatória pra simplesmente pisar no arquipélago, com exceção de quem estiver a serviço do governo, fazendo pesquisas científicas, visitando parentes ou outras condições especiais. Atualmente, essa taxa (que pode ser paga online ou no aeroporto) custa R$ 68,74 pra um dia, mas tem uma progressão estranha, chegando a alcançar a pechincha de R$ 4.847 por um mês de permanência.

A outra taxa é pra entrar no Parque Nacional Marinho, que inclui várias praias e trilhas que você muito provavelmente vai visitar, como a Praia do Sancho, a da Atalaia e a Baía do Sueste. Ela custa hoje R$ 99 pra brasileiros e R$ 198 pra estrangeiros, vale por 10 dias e também pode ser paga online. Essa não é pedida ao desembarcar, então é tranquilo pagar lá se você preferir, num quiosque na Praça Flamboyant, na Vila dos Remédios, que fica aberto até as 22h. Ah, e pagando online você vai ter que ir no tal quiosque de todo jeito, pra pegar seu cartão de acesso ao parque (que é bem bonitinho, com estampa de animais – penso que é uma estratégia pra você não ficar tão #chateado pelo dinheiro gasto :P).

fernando de noronha

Hospedagem

Uma busca rápida no Booking mostra que existe hospedagem de quase todo preço em Noronha. Infelizmente (em especial pra o viajante solo) encontrei poucos albergues por lá, mas dá pra pagar a partir de R$ 219 por diária num quarto coletivo misto no Vila Hostel, por exemplo, e desde R$ 250 em quarto duplo em pousadas domiciliares, que são casas de moradores adaptadas pra receber hóspedes. Fiquei numa delas, a Água Viva, que é comandada pela simpaticíssima Nancy e vai ganhar post aqui logo mais. Me senti super em casa por lá e paguei R$ 320 pela diária em quarto triplo sem café da manhã, mas com acesso à cozinha.

Tem também pousadas mais charmosinhas com diárias por volta de R$ 600 no quarto duplo, como é o caso da Pousada da Villa, e outras com piscina, SPA e outras comodidades por cerca de R$ 900, como a Pousada do Vale. Isso sem falar numas bem mais sofisticadas como a Triboju, onde encontrei diárias a partir de R$ 1.700, a Maria Bonita, de Bruno Gagliasso, onde o quarto duplo tá a partir de R$ 1.500, e a Pousada Maravilha, de Luciano Huck, onde pacotes de quatro noites custam desde R$ 15 mil. #ostentação

pousada em fernando de noronha

Passeios

Dá pra fazer muita coisa em Noronha sem gastar um tostão: visitar as praias, fazer snorkeling, algumas trilhas… Mas tem também vários passeios pagos, que podem ser reservados ao chegar na ilha. Vale a pena tirar uma horinha no seu primeiro dia por lá pra visitar as agências (tem várias na Vila dos Remédios) e pegar mais informações sobre as opções e preços, que às vezes podem ser negociados pra pagamento em dinheiro e no caso de “pacotes” com mais de um passeio.

Os passeios pagos mais comuns são o Ilha Tour, que leva o dia inteiro percorrendo vários pontos da ilha num carro 4×4 com algumas paradas (R$ 125 com a agência Primeiríssima) e o passeio de barco, que tem algumas versões. A “tradicional” tem duração de 3 horas e parada de 30 minutos pra snorkeling no Sancho (R$ 125 com a agência Primeiríssima); outra é num catamarã de dois andares com 4 horas de duração, incluindo 1 hora de snorkeling no Sancho e almoço (R$ 250 com o Trovão dos Mares); e tem o entardecer VIP, que vai das 14h ao pôr do sol e também tem parada no Sancho, peixe na brasa e prancha sub – passeio em que você é puxado por uma prancha enquanto olha a vida marinha (R$ 250 com a agência Primeiríssima). Você pode encontrar algumas variações de uma agência pra outra, mas no geral é mais ou menos isso.

O prancha sub também pode ser feito à parte, saindo do porto com empresas como a Trovão dos Mares, por R$ 50, mesmo valor do snorkeling com guia na Baía do Sueste (super recomendo!). Já o mergulho de cilindro (“batismo”) custa de R$ 250 a R$ 450 – os mais baratos costumam ser na região do porto, onde tem um naufrágio, e os mais caros são embarcados. O aluguel de equipamentos pra snorkeling, que você provavelmente vai usar bastante, custa cerca de R$ 20 por dia, mas nos passeios de barco já tá incluído. Também tem algumas trilhas que precisam ser feitas com o acompanhamento de um guia pago.

Snorkel em Fernando de Noronha

Alimentação

Comer em Noronha é caro. Não provei nada que não gostasse, mas também não achei muitos pratos excepcionais ao ponto de justificar os valores. Considerei que tava pagando mais pelo ambiente, porque alguns dos bares têm uma estrutura legal e quase todos ficam no meio de cenários de cair o queixo.

Por isso, mesmo que você queira economizar comprando comida no supermercado e levando lanche nos passeios (o que é recomendável), vale a pena separar um pedaço do orçamento pra luxar de vez em quando, tomando uma cervejinha superfaturada e comendo uns petiscos com conforto e uma vista privilegiada. No meu caso, escolhi comer “fora” só petiscos, além de um jantar na primeira noite e do almoço no Ilha Tour; de resto, foi no modo supermercado mesmo.

Não achei, nas praias, latas de cerveja por menos de R$ 8 e long necks por menos de R$ 12 (cheguei a ver por R$ 17). No supermercado, as long necks custavam a partir de R$ 6, uma caixa com 10 ovos R$ 10, a água de 1,5 litro R$ 6 e um pacote de pão de caixa uns R$ 12. Nos barzinhos e lanchonetes, as tapiocas mais baratas que vi custavam R$ 10, a garrafa d’água de 500 ml R$ 5 e refrigerantes e picolés no mínimo R$ 5 também.

Estimo uma média de R$ 50 por refeição por pessoa se você dividir pratos/petiscos ou de R$ 70 a R$ 90 comendo só, mas dá pra gastar muito mais nos restaurantes estrelados ou se você quiser passar horas tomando uma. E sim, obviamente vai ter post falando do que e onde comi. :)

bar do meio fernando de noronha

Transporte

Tem quem alugue buggy por lá, mas achei bem desnecessário porque a ilha é pequena e mesmo que você ande de táxi pra lá e pra cá ainda sai mais em conta. A diária de um buggy custa cerca de R$ 250 e o litro de gasolina na ilha tá por uns R$ 5 (não que você vá usar muita gasolina na segunda menor BR do Brasil, mas ok). As corridas de táxi são tabeladas, mas costumam custar no máximo uns R$ 30. Tem também um ônibus que cruza Noronha do Sueste ao Porto, passando a cada meia hora das 7h às 23h30. Atualmente a passagem sai por R$ 5 – meio absurdo considerando a distância, mas ainda é a opção mais econômica depois dos seus pés.

E falando em pés, se você se hospedar na Vila dos Remédios (o centrinho da ilha) ou mesmo em Floresta Nova ou Vila do Trinta dá pra ir andando a praias como a do Cachorro, do Meio e da Conceição, a vários restaurantes, mercadinhos e agências de turismo. Pra ir a praias como o Sancho e a Cacimba do Padre, achei mais negócio pegar táxi, porque ao descer do ônibus é preciso andar um bocadinho (uns 20 minutos por uma estradinha de terra, no caso da Cacimba do Padre). Você pode combinar o horário de volta com um taxista ou ligar pra associação de taxistas de lá, que fica na Vila dos Remédios, pra irem te pegar: (81) 3619-1314.

Quanto eu gastei

“Tá ceeerto, Luísa, mas quanto eu vou gastar mesmo, no fim das contas?”. Como sempre, isso varia de acordo com as escolhas que você fizer durante a viagem, mas vou destrinchar os meus gastos pra dar uma ideia. Os valores abaixo se referem aos gastos de duas pessoas, tá?

Taxa de Preservação Ambiental: R$ 549,92
Taxa do Parque Marinho: R$ 198
Hospedagem em quarto triplo: R$ 1280
Café da manhã (pães, queijo, presunto, ovos, chá e café no mercadinho): uns R$ 150

Primeiro dia: táxi do aeroporto pra pousada: R$ 25 + três long necks e um petisco de siri no Duda Rei: R$ 80 + jantar no Varanda: R$ 120 = R$ 225

Segundo dia: Ilha Tour: R$ 250 + aluguel de snorkel: R$ 20 + snorkeling com guia no Sueste: R$ 100 + água e picolé: R$ 11 + almoço no Noronha Steak House: R$ 105 + porção de bolinhos de tubalhau e duas long necks no Forte do Boldró: R$ 49  = R$ 535

Terceiro dia: passeio de barco: R$ 500 + plana sub pra uma pessoa: R$ 50 + iscas de peixe empanadas, suco e cerveja no Bar do Cachorro: R$ 90 = R$ 640

Quarto dia: ônibus pra Cacimba do Padre: R$ 10 + aluguel de guarda-sol na praia Cacimba do Padre: R$ 30 + táxi de volta pra Vila dos Remédios: R$ 30 + 2 guaranás, um suco e um peixe na folha de bananeira no Bar do Meio: R$ 136 + um marisco ao coco, duas long necks e um guaraná no Duda Rei: R$ 73 + ônibus de ida e volta pro bar Mergulhão: R$ 20 + bolinhos de bobó, suco, cerveja artesanal e sobremesa no Mergulhão: R$ 140 = R$ 439

Quinto dia: só tínhamos a manhã livre, então comemos o resto das comidinhas do mercado e fizemos sanduíches pra enrolar a fome até chegar em casa. O transfer foi gratuito, oferecido pela agência Primeiríssima, com que fizemos o Ilha Tour (acredito que todas as agências oferecem esse traslado grátis)

Gasto total por pessoa pra quatro dias: cerca de R$ 2 mil (sem contar as passagens, emitidas com milhas)

Como economizar mais

Esses gastos aí em cima foram sem tanta economia, comendo quando nem tínhamos muita fome (mais pra aproveitar a vibe dos bares) e fazendo o passeio de barco mais caro, por exemplo. Sem grandes esforços, dava pra fazer o passeio mais barato, trocar o almoço caro do dia do Ilha Tour por um lanche levado na bolsa e evitar a sobremesa na última noite, economizando assim R$ 400.

Pra cortar mais ainda (o que eu não faria, porque acho que os passeios valem a pena), poderíamos não ter feito o Ilha Tour, o passeio de barco, o Plana Sub e o passeio guiado no Sueste, poupando mais R$ 600. Também dava pra cortar algumas comidinhas e cervejas (com sacrifício). Uma dica básica pra economizar é comprar comida num mercado e levar sempre um lanche com você – vi também bastante gente com bolsas térmicas com cerveja e outras bebidas.

E, é claro, da mesma forma poderíamos ter gasto muito mais nos hospedando numa pousada chique, jantando nos melhores restaurantes da ilha todas as noites, alugando buggy, fazendo mergulho etc.

Resumindo: é uma viagem cara? É. Nunca tinha gasto R$ 500 por dia em outro destino, nem em euros. Mas, porém, contudo, com informação e planejamento dá pra avaliar quais gastos realmente valem a pena pra você (quer dispensar o Ilha Tour e investir num mergulho ou em mais cervejas? Se joga!) e fazer dessa uma das melhores viagens da sua vida.

Você já foi pra Noronha? Lembra quanto gastou? Conta aí nos comentários!

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube

2017_01_04-728x90

Vai viajar pra o exterior? Não deixe de fazer um seguro viagem! Contrate o seguro que eu sempre uso :) Neste post você encontra um código pra ganhar 15% de desconto. Você economiza e ainda ajuda o blog a se manter vivo.

Posts Relacionados

6 Comentários

  1. Camila Lemos

    Lu, OBRIGADA por esse post esclarecedor! rs

  2. Gilberto

    Perfeito o post! Agora você disse que viu o pessoal levando bolsa térmica com cerveja por lá, será que tem lugar para comprar gelo?hehe …estou indo mês que vem para ficar 10 dias e quero economizar no que puder . Muito obrigado!

    • Oi, Gilberto! Tem sim, nos mercadinhos vende :) Aproveita a viagem! Com 10 dias dá pra curtir muito. Um abraço

  3. André Ribeiro

    Luisa você é show demais!!.. Até imaginei você lá curtindo seu passeio com um caderninho anotando todos os preços e dicas pra passar pra gente (rsrsrs)..
    O post ficou muito bom, bem esclarecedor – eu sempre quis conhecer Fernando de Noronha, mas já tinha lido em outros blogs que é uma viagem relativamente cara, apesar de compensar demais. Recentemente vi o filme “Sangue Azul” (que você deve ter visto tb) do pernambucano Lírio Ferreira, e ele foi todo rodado em Fernando de Noronha e mostra suas belezas incríveis.
    Enfim, mais uma vez parabéns pelo blog e obrigado pelas ótimas dicas. Um abraço!!

    • Oi, André! Foi quase isso: fiquei anotando no Evernote no celular. hahaha :) Que bom que você achou o post útil e passou aqui pra comentar, obrigada! :D E desculpa pela demora pra responder. Ainda não vi Sangue Azul, acredita? Mas tenho curiosidade de ver ;) Espero que você possa conhecer Noronha em breve – é realmente tudo que parece ser :) Um abraço!

Deixe o seu comentário