Espanha

Barcelona com pouca grana: roteiro pra 4 ou 5 dias

A Espanha é um dos países mais baratos pra se visitar na Europa ocidental, certo? Certo. Mas os preços variam dentro do país, e a maravilhosinha Barcelona infelizmente tá mais pra cima nesse gráfico imaginário. Mas, apesar dos preços salgados de muitas das suas atrações, garanto uma coisa: dá pra conhecer muita coisa linda por lá com orçamento limitado. Barcelona com pouca grana é uma viagem não só possível, como deliciosa. :)

Na minha segunda visita à cidade, em julho desse ano, explorei o que pude gastando o mínimo possível com passeios. As únicas entradas que paguei foram a da Catedral, porque queria subir na terraza (e nem achei tão incrível) e a do Castelo de Montjuic. Resultado: não passei de 15 euros por dia, que foram dedicados basicamente a supermercado, tapas, cervejas e sangrias (eu tava de volta à Espanha pela primeira vez em quatro anos, não me julguem).

Planejando uma viagem pra Europa? Não se esqueça que o seguro viagem é obrigatório! Clique aqui e veja como fazer seu orçamento online e contratar um seguro confiável com desconto.

É verdade que por já ter ido lá antes e conhecer algumas atrações ficou fácil não ir a elas novamente, mas não acho que ver tudo por dentro seja “imperdível” (conceito relativo que a gente tem mania de usar a torto e a direito, né?). Estamos falando de Barcelona, afinal, que já é muito interessante ao ar livre. Se quiser economizar de verdade, escolha um ou dois ingressos pra investir seus suados eurinhos e se liberte do peso na consciência. Sem essa de “ir a Barcelona e não entrar na Sagrada Família é o mesmo que não ir”, né? A cidade tá longe de se resumir a isso e não vai faltar coisa pra fazer sem gastar nada além da sola dos sapatos.

O roteiro que fiz com quatro dias inteiros passou por boa parte dos highlights da cidade, sobrando ainda um dia pra ir até Sitges, cidade de praia charmosíssima a apenas 40 minutos de trem. Se você for entrar em atrações como as casas de Gaudí e museus, acrescente um dia a esse roteiro – e, se possível, compre ingressos online pra furar filas.

Sobre comida: se você tiver acesso a geladeira ou frigobar, passe logo num supermercado como Mercadona ou Día e faça a festa com os produtos que levam a marca do estabelecimento, que são tão bons quanto marcas famosas <3 Sugiro levar na bolsa um sanduíche e ir complementando a alimentação diurna com frutas no mercado, um cappuccino num café simpático e outras pequenas delícias que caibam no seu orçamento.

Assim, você não fica refém dos preços pega-turista que rolam nos entornos de algumas atrações, nem precisa gastar tempo e energia pensando em onde almoçar. À noite, se jogue nas tapas (que são basicamente o que esse país tem de melhor) e experimente um monte de coisas diferentes pagando pouco. Se quiser pesquisar lugares legais pra comer, sugiro dar uma olhada no site da TimeOut.

Sobre transporte: Barcelona não é tão grande quanto pode parecer e a maior parte das atrações fica concentrada numa área relativamente compacta. Dá pra fazer muita coisa andando, e é nessas caminhadas que você vai encontrar as melhores surpresinhas. Ainda assim, tem momentos em que as pernas pedem descanso, o tempo não tá sobrando ou o destino almejado tá mais longinho mesmo.

Vale a pena andar de transporte público algumas vezes, mas se for ficar quatro dias ou mais pelamordedeus não compre o bilhete turístico bonitinho que aparece assim que você vê a tela da máquina de bilhetes do metrô e custa quase 34 euros pra 4 dias. Muito melhor é o que eles chamam de Tarjeta T10, que dá direito a 10 viagens por menos de 10 euros. Faça as contas: você teria que pegar transportes públicos mais de 34 vezes em cinco dias pra esse passe turístico valer a pena, o que me parece totalmente absurdo.

Tá certo que ele dá direito a ir até o aeroporto, mas pra maioria dos turistas ainda é mais vantagem somar o bono de 10 euros e o billete aeropuerto, que sai por 4,50 cada trecho. Na minha opinião, o bilhete turístico só vale a pena na versão de 2 dias (por 14,50), caso você vá e volte do aeroporto e fora isso pretenda andar de metrô ou ônibus três ou mais vezes. Ah, a passagem simples custa hoje 2,15. Todos os bilhetes valem pra metrô e ônibus e você pode obter mais informações sobre eles no site oficial da rede de transporte de Barcelona.

Procurando hospedagem em Barcelona? Compare e reserve hotéis, albergues, pousadas e apartamentos com os melhores preços 

Mas tá bom de preliminares, né? Abaixo você confere um resumo do roteirinho que proponho pra cada dia, com um mapa também resumido. Lembrando, é claro, que todos esses percursos são apenas sugestões dentre infinitas possibilidades de itinerário que você pode fazer.

Nas próximas semanas vai rolar um post sobre cada um desses dias, com informações práticas e dicas de lugarzinhos delícia que revisitei ou descobri nessas andanças, além de mapinhas mais detalhados com pontos de interesse em cada bairro. Quando for publicando vou atualizando aqui com os links. ;)

DIA 1: uma introdução

Dê as boas-vindas à cidade com um percurso sem pressa por alguns dos lugares mais célebres. Comece conhecendo a badalada orla da cidade, na Barceloneta, e siga pra o bairro Gótico (El Gòtic), com destaque pra importante Plaça Sant Jaume e pra linda Catedral de Barcelona. De lá, ande um pouco pela famosa La Rambla e vá comer (ou ao menos salivar) no Mercado de la Boquería.

Siga pela Rambla até o porto (Port Vell) ou, se quiser fugir das multidões de turistas (recomendo), se perca pelo bairro Raval. Pra terminar o dia (ou começar a noite), saia de tapas pela rua Blai, em Poble-Sec, ou vá conhecer os barzinhos e restaurantes do bairro trendy Sant Antoni.

Gasto opcional: entrada pra Catedral (3 euros, mas tem horários gratuitos). Dica: se quiser entrar na catedral, não vá de shorts nem roupa de alças, ou leve algo pra cobrir os ombros.

DIA 2: meu bairro preferido e Gaudí

Pegue um metrô até o Arco do Triunfo barceloneta e vá curtir o Parc de la Ciutadella. Na saída, aproveite pra perambular (e se apaixonar) pelo bairro vizinho El Born, meu preferido. Explore as ruazinhas, sente num café, veja o movimento… Depois dê uma passada na movimentada praça Catalunha e suba o Passeig de Gràcia, a “Champs Elysées” de lá, onde ficam várias lojas de grife e duas das obras mais famosas de Gaudí: Casa Batlló e La Pedrera (Casa Milà).

Dê um rolê pelo bairro Gràcia e passe na Plaça del Sol, onde a galera se junta pra curtir a noite. Compre uma cerveja numa lojinha e fique por ali mesmo ;) Ou então faça desse seu “dia Gaudí” e siga pra Sagrada Família, onde você pode ficar uns bons minutos admirando essa lindeza ou entrar pra ver seu interior (que não acho tão lindo quanto a parte de fora, mas há quem discorde).

Gastos opcionais: entrada pra Casa Batlló (23,50 euros), Casa Milà (22 euros) e Sagrada Família (a partir de 15 euros). Dica: vale a pena comprar os bilhetes online, mas se você for reservar horário pra Sagrada Família é melhor fazer o caminho inverso, começando por lá, pra não correr o risco de atrasar.

DIA 3: pra ver Barcelona de cima

Esse é o dia das vistas, agora que você já bateu perna e pode tentar reconhecer tudo desde o alto. <3 Primeiro vá até a Plaza Espanha e suba até o topo do shopping Arenas pra dar uma espiada nos entornos. De lá, pegue um ônibus pra o Castelo de Montjuic, que fica pertinho. Depois vá de metrô até a estação Vallcarca e suba as escadas rolantes ao ar livre até o Park Güell. No fim da tarde, vá ver mais uma vista linda a partir de um lugar que muitos turistas desconhecem: os Bunkers del Carmel.

Gastos: entrada pra o Castelo de Montjuic (5 euros, ou grátis no primeiro domingo de cada mês e todo domingo a partir das 15h) e entrada pra Zona Monumental do Park Güell (7 euros). Dica: os ingressos pra o Park Güell devem ser comprados com antecedência, com hora marcada; na hora é difícil conseguir, mas dá pra ver muita coisa nas partes gratuitas também.

DIA 4: bate-volta praiano

A orla de Barcelona é interessante, mas pegar praia por ali não é bem o ideal, com tanto turista espremido. Se tiver um dia livre e o clima estiver bom, recomendo muito pegar um trem que sai com frequência e em 40 minutos chega numa cidadezinha chamada Sitges, com um centro histórico pequeno, mas lindo, e praias bem gostosas com mar delícia e um ambiente LGBT friendly. Gasto: passagens de trem de ida e volta pra Sitges (8,20 euros).

DIA 5: “as sobras”

Tem um dia sobrando? Ótimo. Caso você não esteja com o orçamento tão apertado e tenha decidido conhecer por dentro as obras de Gaudí, visitar museus como o Museu Picasso e a Fundação Joan Miró, ir até o Camp Nou ou entrar no Aquário de Barcelona, por exemplo, provavelmente não vai dar tempo de fazer os roteiros acima completinhos nos dias sugeridos – especialmente se precisar enfrentar filas. Esse quinto dia ficaria, então, pra as “sobras” do que planejou, ou pra explorar lugares como Girona, Montserrat ou Tibidabo. ;) E claro: quanto mais tempo puder ficar nessa cidade linda, melhor; volte aos seus lugares preferidos, se esparrame nos parques, torre nas praias e busque novos cantinhos. Dificilmente vai faltar coisa pra fazer!

E você, o que mais gostou de conhecer em Barcelona? Tem outras sugestões de roteiros? Manda aí nos comentários!

Contrate seu seguro viagem com desconto na Mondial Assistance
Pesquise e reserve hotéis com os melhores preços no Booking
Alugue um carro nas melhores locadoras com a Rentcars e pague em até 12x
Procure a casa de câmbio com a melhor cotação da sua cidade 

Quando você usa esses links, o blog ganha uma pequena comissão pra se manter vivo e você não paga nada a mais por isso. <3 Saiba mais sobre as políticas de monetização do Janelas Abertas clicando aqui.

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube. Espero você lá! :)

Posts Relacionados

0 Comentários

Deixe o seu comentário