Viagem pra Dentro

5 razões para começar algo novo o quanto antes

Quando foi a última vez que você fez algo totalmente novo? Deu início a um projeto fora da sua área de atuação, aprendeu algo diferente, inventou um novo hobby? Às vezes a gente fica tão consumido pela rotina que se esquece do frio na barriga e da alegria dos novos começos. Nos últimos meses eu experimentei alguns e fiquei pensando em como é bom sair da bolha da mesmice, mesmo que seja com algo bem simples. Caso você esteja se enchendo de desculpas pra adiar o que tanto quer fazer, por hobby ou mais seriamente, separei uns motivos que me animam e talvez te animem também:

1. Pra ter novas perspectivas

Nem sempre começar algo novo precisa significar um compromisso enorme, mas nem por isso vai deixar de ser transformador. Foi como quando comecei a aprender alemão, há alguns anos, sem grandes pretensões de dominar a língua. O que me motivava era entender um pouco como funcionava sua lógica, diferente do que eu tava acostumada, e conhecer um pouco mais sobre um país que começava a me interessar.  Precisei abandonar o curso depois de três estágios, mas já foi suficiente pra ter uma visão diferente sobre a língua e sobre a cultura alemã. O interesse, aliás, só aumentou – tanto que devo passar umas semanas por lá esse ano. <3

Também senti uma mudança de perspectiva quando finalmente aprendi a andar de bicicleta, por exemplo – hoje encaro com outros olhos os ciclistas que vejo pelas ruas e tenho uma visão um pouco diferente da minha cidade, já que quando saio de bike vejo as coisas num ritmo diferente do carro e ônibus. Também vou tentar incluir umas pedaladas nos meus próximos roteiros de viagem, o que me faz prestar mais atenção do que nunca no assunto “mobilidade” em diferentes destinos.

Não é novidade: quando a gente sai da nossa caixinha e para pra dar atenção a coisas novas, se coloca no lugar de outros. Mesmo que seja algo que você já conhece na teoria (como a importância de respeitar quem passa de bike no trânsito), é só fazendo que a gente realmente entende o que tá por trás daquilo (como se sente o ciclista quando é quase esmagado por um carro, por exemplo). Essas novas perspectivas são como portas que se abrem pra outros universos, com infinitas possibilidades.

2. Pra exercitar a mente

Por mais que nossas tarefas diárias sejam desafiadoras – escrever, por exemplo, muitas vezes ainda é um parto pra mim -, a rotina acaba deixando algumas coisas meio “no automático”. Se as habilidades usadas sempre são parecidas, as áreas do cérebro que são cutucadas também. Mas aí você vai e resolve começar a mexer em softwares gráficos, como eu inventei de fazer esse ano, ou vai aprender a tocar um instrumento, bordar, pintar, fazer krav magá… Quanto mais diferente a atividade for do que você tá acostumado a fazer, mais ela provavelmente vai exigir da sua cabecinha e te ajudar a manter o cérebro em forma. Ou, por outro lado, ajudar a desconectar, dando um descanso àquelas áreas da mente já tão demandadas.

3. Pela empolgação das primeiras conquistas

Acho que essa é minha parte preferida. Lembro como se fosse ontem de quando saí da minha primeira aula de francês, repetindo mentalmente uma das primeiras frases que tinha aprendido: “est-ce que je peux effacer?”. OK, não é a coisa mais emocionante do mundo saber perguntar se você pode apagar o que tá escrito no quadro, mas o simples fato de “entender” uma frase completa me deixava feliz – era uma pequena vitória que significava muito, já que pouco antes o universo do francês era totalmente misterioso pra mim. Assim como quando aprendi a fazer curvas com a bicicleta, contar até 100 em alemão, recortar uma foto no Photoshop e outras besteirinhas de iniciante. Ai de quem disser que você não tá ARRASANDO quando terminar aquele primeiro bordado todo tronxo, né?

4. Pra praticar a humildade e a paciência

Esse item vai de mãos dadas com o anterior: assim como é massa cada coisinha que se aprende no começo, provavelmente algumas dessas coisas vão ser desafiadoras. Talvez os primeiros vídeos que você fizer fiquem com o áudio terrível, talvez seu primeiro bolo fique solado, talvez você costure um vestido inteiro e só depois perceba que o forro ficou errado, talvez você se frustre achando que é impossível aprender mandarim, violino ou aquela posição mais complicada da yoga.

Mas é preciso lembrar que todo mundo tem que começar de algum lugar. Ninguém nasce pronto, e pouco a pouco a dedicação vai dando resultados. Esse processo ajuda a colocar em prática a humildade e a paciência. E, de quebra, a empatia também – afinal, se você (como todo mundo) também tem suas dificuldades especialmente no começo, nada a ver julgar o coleguinha que ainda tá aprendendo a dirigir e não sabe se manter numa faixa só ou que comete erros ao tentar falar inglês, né?

5. Pra descobrir novas paixões

Nem sempre vai ser o caso – e nem acho que tem que ser -, mas às vezes nessa história de novidade você pode acabar descobrindo uma nova paixão. E isso é, acredito, uma das coisas mais gostosas da vida. <3 Lembro, por exemplo, de uma menina que estudou espanhol em Buenos Aires na mesma época que eu e aproveitou o período por lá pra fazer umas aulinhas de tango. O que era brincadeira acabou virando profissão: há alguns anos, descobri que ela tinha se tornado dançarina profissional e professora. Pra quem não tá satisfeito na rotina ou profissão atual ou sente que falta mais significado, prazer ou criatividade na vida, uma ótima alternativa a ficar reclamando pelos cantos é essa: se jogar e fazer coisas diferentes.

E tu, tás esperando o quê pra começar aquela coisa nova que sempre te deu vontade de fazer? Me conta aí o que é!

Pra conferir muito mais conteúdo sobre viagens todos os dias, siga o Janelas Abertas no Facebook, no Instagram e no Youtube

2017_01_04-728x90

Vai viajar pra o exterior? Não deixe de fazer um seguro viagem! Contrate o seguro que eu sempre uso :) Neste post você encontra um código pra ganhar 15% de desconto. Você economiza e ainda ajuda o blog a se manter vivo.

Posts Relacionados

4 Comentários

  1. Primeiro texto que li no dia e já estou com uma nova perspectiva para o dia de hoje. Concordo plenamente com tudo que você disse, principalmente pelas novas coisas (e pela sensação de estar fazendo algo novo). Às vezes ficamos tão anestesiados com a rotina, entramos em um buraco e não nós ligamos que sair pode ser mais simples do que pensamos.

    • Oi, Larissa! Que bom te ver por aqui :) É um exercício diário sair do “modo automático” e buscar coisas que tragam mais brilho pra nossas vidas, né? Mas como você disse, às vezes é mais simples do que pensamos – coisinhas pequenas podem fazer a diferença. Um beijo!

  2. Cristian

    Olá Luisa! Gostei muito do seu texto. Estou vivendo um momento de mudanças internas muito intensas e atualmente estou a procura de novos significados ou melhor, de ressignificar muitas coisas na minha vida e uma dessas “coisas” é extamente isso que você disse em seu texto, ” se permitir experimentar”, embora eu seja um experimentador nato pois tô sempre envolvido em projetos novos, mas sempre na perspectiva profissional e nunca na perspectiva de simplesmente ter um prazer pelo prazer, sem amarras de “tem que ser isso ou aquilo”. Vasculhando a internet achei seu blog e como sempre gostei de idiomas, penso que seria uma boa experimentar também o que me dá prazer e não necessariamente fonte de renda. Abraços, Cristian.

    • Oi, Cristian! Que massa que você curtiu o post :D Acho que é superimportante experimentar coisas novas só por prazer mesmo, como você falou. Sem tanta pressão :) Boa sorte nas suas mudanças! Um abraço

Deixe o seu comentário